• Goma Publicidade

  • Oseg Corretora de Seguros

Em clássico esvaziado, Verdão e Santos empatam por 1 a 1

Santos e Palmeiras queriam usar o clássico da Vila Belmiro para arrancar rumo aos primeiros lugares do Campeonato Brasileiro. Não conseguiram. Na tarde deste sábado, o Verdão foi melhor no primeiro tempo, enquanto o Peixe reagiu no segundo. No fim, um justo empate por 1 a 1 para um encontro sem grandes emoções e que chamou a atenção de menos de 9 mil espectadores.

O Palmeiras voltou a apostar no esquema com quatro volantes, mesmo com a ausência de Tinga – Rivaldo ganhou uma chance entre os titulares. No primeiro tempo, a tática deu certo e saiu o gol de Kleber. Já o Santos entrou no 4-4-2 e só melhorou na etapa final, quando jogou com três atacantes. O empate foi criado por Alan Patrick, em uma bola desviada por Danilo.

Na classificação, Santos e Palmeiras alcançaram 39 pontos. O Peixe fica em vantagem apenas no quesito número de vitórias e ainda tem um jogo a cumprir em relação aos adversários. Os dois grandes de São Paulo não assustam os ponteiros da competição.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos terá uma missão mais complicada do que o Palmeiras. Na quarta-feira, o Peixe enfrenta o Fluminense, no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro. O Verdão, por sua vez, atua no dia seguinte em casa, contra o Avaí.

O Jogo – O clássico da Vila Belmiro começou com uma proposta clara: o Santos tinha a iniciativa das ações, enquanto o Palmeiras apostava no contra-ataque. Pelo lado esquerdo do ataque do Peixe, Neymar chamava a responsabilidade, mas logo foi ao banco de reservas reclamar de dores no tornozelo direito em decorrência de uma pancada.

Quando Alan Patrick surgiu na beira do gramado para a primeira alteração no Peixe, o torcedor da casa sentiu um frio na espinha. Neymar não teria condições de continuar? Na verdade, Marquinhos sentiu uma lesão na coxa esquerda e acabou sacado.

Apesar do alívio em função da permanência de Neymar, o Santos viu a dupla ofensiva do Palmeiras finalmente aparecer aos 19 minutos. E no primeiro lance criativo dos visitantes, Kleber recebeu de Valdívia e chutou no ângulo de Rafael para abrir o marcador. O gol esfriou a Vila Belmiro.

Sem a presença de Marquinhos, o Santos já não tinha a mesma sincronia ofensiva. O atual campeão paulista e da Copa do Brasil ficava com a maioria da posse de bola e, ainda assim, não conseguia superar a marcação. Enquanto isso, o Palmeiras era mais perigoso. No fim do primeiro tempo, Vitor chegou a carimbar o travessão de Rafael em uma pancada de longe. “Eu estava na bola”, minimizou o arqueiro na saída para o intervalo.

Para a etapa complementar, o Santos adotou uma postura mais ofensiva, com a presença de Zé Eduardo no lugar de Pará. Com uma postura agressiva, o Peixe demorou oito minutos para igualar o placar. Alan Patrick invadiu a área pela esquerda, driblou dois adversários – Vitor e Edinho – e finalizou. A bola desviou no pé direito de Danilo e matou Deola.

Atento aos problemas do time no segundo tempo, Felipão colocou o jovem Patrick no lugar de Rivaldo. A partir daí, houve equilíbrio em campo, sem chances destacadas para nenhum dos lados. No fim, o placar de 1 a 1 demonstrou a igualdade entre as duas equipes.

Gazeta Esportiva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: