• Goma Publicidade

  • Oseg Corretora de Seguros

Sem dar show, São Paulo supera desfalques e vence Azulão

O São Paulo encontrou dificuldades com seus diversos desfalques e não exibiu um futebol envolvente, mas foi eficiente para garantir a vitória por 2 a 0 sobre o São Caetano, na noite deste sábado, pelo Campeonato Paulista. Com o garoto Lucas apagado, o zagueiro Rhodolfo abriu o placar e comemorou com salto mortal. Nos acréscimos, Jean aproveitou rebote de cobrança de falta de Rogério Ceni para definir o resultado.

Sem contar com Alex Silva, Miranda, Carlinhos Paraíba, Fernandinho e Rivaldo, o time de Paulo César Carpegiani demorou a se ajustar em campo e, apesar do domínio da bola, só ficou realmente perigoso com a entrada de Marlos no segundo tempo. A pressão no final foi suficiente para garantir o resultado positivo no estádio Anacleto Campanella.

Com o placar, o Tricolor chegou aos 22 pontos no Estadual, na terceira colocação, enquanto o time de Ademir Fonseca tem apenas 12, fora da zona de classificação.

O São Paulo volta a campo na noite de quinta-feira, quando recebe o Ituano, no Morumbi. Já o São Caetano tem compromisso na quarta, diante do Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

O jogo: O técnico Paulo César Carpegiani formou o Tricolor no 4-4-2, com Xandão e Rhodolfo na dupla de zaga, enquanto Jean atuou na direita e o zagueiro Luiz Eduardo foi improvisado na lateral esquerda, liberando Juan para atuar praticamente como um ponta. Porém, o Tricolor precisou de alguns minutos para se adaptar, e o time do ABC quis aproveitar para tentar surpreender, quando Aílton recebeu na direita e chutou por cima da meta de Rogério Ceni.

Aos poucos, o Tricolor se soltou em campo, e Rodrigo Souto aproveitou bola alçada na área para cabecear perto do travessão. Com ampla maioria de são-paulinos na arquibancada do Anacleto Campanella, o São Paulo correu para esquentar a noite fria. Desta forma, Casemiro surgiu como surpresa por entre a zaga do Azulão, passou por Jean Rolt e Souza, mas acabou atrapalhado por Anderson Marques e o chute parou nas mãos de Luiz.

Mesmo com mais posse de bola, o time da capital encontrava dificuldades para finalizar. E, quando conseguia chutar, parava no arqueiro Luiz. Willian José, inclusive, abriu na meia-direita para Dagoberto emendar um chute forte, exigindo boa defesa do goleiro da casa.

Na resposta, Artur passou por Luiz Eduardo pela direita e, quase sem ângulo, chutou forte, mas Ceni deu um tapa na bola para tirar. Como o lateral direito do Azulão estava dando trabalho a Luiz Eduardo, Carpegiani decidiu mudar o esquema tático, tirando o garoto da esquerda para transformá-lo em um lateral pela direita. Com isso, o treinador recolocou Juan na lateral e liberou Jean para o meio-campo.

As mudanças acabaram com qualquer perigo para Rogério, mas não ajudaram na frente. Antes do apito final da primeira etapa, o São Paulo só voltou a ameaçar quando Dagoberto bateu falta e carimbou a barreira, mas o rebote sobrou para Lucas, que se infiltrou na área e chutou forte, para nova defesa de Luiz.

As duas equipes voltaram sem alterações para a etapa final, mas, ao ver a dificuldade do São Paulo em atacar, Carpegiani tirou Casemiro para a entrada de Marlos, com menos de dez minutos.

Com Lucas apagado, o time visitante continuou com dificuldades em colocar o goleiro Luiz em risco. Jean até teve uma falta de longe, mas mandou por cima do gol. O problema para o Tricolor foi a ousadia maior do Azulão, que passou a responder mais em contragolpes, mesmo sem concluir contra Rogério Ceni.

Carpegiani, por sua vez, abriu ainda mais o time, com Ilsinho na vaga de Juan. Com muita dificuldade na criação das jogadas, os dois clubes mantiveram o jogo em um ritmo fraco. Aílton mandou falta para fora, e Marlos finalizou longe do gol de Luiz em jogada pela esquerda. Pouco depois, o Tricolor finalmente acordou. Marlos fez jogada individual pela esquerda e rolou para Dagoberto finalizar fraco, facilitando para o goleiro.

No lance seguinte, Dagoberto cruzou para Jean, que chutou raspando a trave. Era só um sinal de que o gol estava perto de sair. Aos 29, Marlos alçou na área para Rhodolfo completar de cabeça para as redes. Na comemoração, o zagueiro tentou dar um salto mortal, mas se desequilibrou. Nada que estragasse a festa da torcida.

Com vantagem no placar, o Tricolor passou a se segurar atrás, e Rogério Ceni salvou o time com uma ótima defesa em cabeceio de Eduardo, que havia acabado de entrar na vaga de Luciano Mandi. Do outro lado, Luiz se esticou para defender batida perigosa de Dagoberto, que contou com a ajuda de um desvio no meio do caminho.

Nos acréscimos, Rogério Ceni carimbou o travessão em cobrança de falta e, no rebote, Jean mandou de cabeça para as redes, definindo o placar.

Gazeta Esportiva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: