• Goma Publicidade

  • Oseg Corretora de Seguros

Tradicionais, Peñarol e Santos iniciam decisão da Libertadores em Montevidéu

Peñarol e Santos, dois dos times mais tradicionais do futebol sul-americano, iniciam a decisão do título da Copa Libertadores da América nesta quarta-feira, a partir das 21h50 (horário de Brasília), no Estádio Centenário de Montevidéu, no Uruguai. Os dois clubes já disputaram uma final de Libertadores em 1962. Naquela ocasião, os santistas levaram a melhor e conquistaram pela primeira vez o principal torneio de clubes das Américas. E é o que o Peixe pretende alcançar novamente agora, em 2011.

Mas, se na primeira vez em que ergueu a taça da Copa Libertadores, os alvinegros contavam com ninguém menos que Pelé em seu time, desta vez a aposta é no atacante Neymar. O Rei chegou a visitar o CT do Santos nesta semana, antes da decisão, para desejar boa sorte ao craque antes do embarque para a capital uruguaia.

Empolgado com a possibilidade de disputar a sua primeira decisão de Libertadores, Neymar espera escrever um novo capítulo na história do Peixe dentro da competição, com o clube voltando a conquistar o título depois de 48 anos de jejum – a última vez que os santistas ganharam esse torneio foi em 1963.

“Vivo um momento muito bom. Enfrentamos muitas dificuldades para chegar à final e, por conta disso, sonho todos os dias em ser campeão da Libertadores. Quando deito para dormir me imagino ganhando esse título. Espero jogar bem para poder ajudar a minha equipe. Tomara que possamos consagrar o grupo todo com esse título tão importante”, disse Neymar.

Já o técnico Muricy Ramalho quer vencer a sua primeira Libertadores. O treinador foi vice-campeão em 2006, quando dirigia o São Paulo e foi derrotado na final pelo Internacional, e não quer deixar esse título escapar novamente.

Mais experiente, Muricy elogiou os uruguaios e espera um jogo difícil em Montevidéu. “O Peñarol é um time de camisa, história, e como toda a equipe uruguaia, é dura de ser batida. Eles são muito comprometidos com o que fazem. Eles mostraram durante a Libertadores que é complicado superá-los. Acho que não só essa primeira partida, como a segunda (dia 22 de junho, no Pacaembu), serão muito difíceis”, comentou.

Além das dificuldades normais por jogar fora de casa, o comandante alvinegro também não poderá contar com quatro jogadores importantes em sua formação titular. O zagueiro Edu Dracena, os laterais Jonathan e Léo, além do meia Paulo Henrique, não poderão atuar no Uruguai.

O defensor cumpre suspensão automática por ter sido expulso contra o Cerro Porteño, no segundo jogo das semifinais da Libertadores no último dia 1º de junho, em Assunção (Paraguai). Enquanto isso, os outros três foram vetados pelo departamento médico do clube, por não terem se recuperado a tempo de suas respectivas lesões.

Com isso, Muricy Ramalho irá promover a entrada de Bruno Rodrigo no lugar do capitão Dracena. Nas alas, Pará e Alex Sandro recebem novas chances do técnico. E no meio-campo, Elano continuará exercendo a função de Ganso, na ligação com o ataque.

No Peñarol, a expectativa também é muito grande em cima da decisão da Libertadores. Sem chegar a uma final desse campeonato desde 1987, ano em que ganhou o troféu de melhor das Américas pela última vez, o time uruguaio espera abrir caminho jogando em casa, no Estádio Centenário, que deve receber aproximadamente 60 mil torcedores nesta quarta, para o seu sexto título na competição.

“Temos de tratar de fazer uma grande partida. O Santos tem uma grande equipe e tem suas estrelas, como o Neymar, que vive grande fase. Por isso, precisamos nos concentrar para fazer o melhor jogo possível”, afirmou o técnico Diego Aguirre, autor do gol do título do Peñarol em 1987, sobre o América de Cali (Colômbia).

Com a experiência de quem vivenciou aquela decisão, o treinador dos uruguaios tenta diminuir a pressão sobre o seu grupo. Para isso, Aguirre fechou os últimos treinos do Peñarol para torcedores e imprensa, a fim de fazer com tranquilidade os últimos ajustes da equipe antes da final.

“Temos consciência do nosso potencial e das nossas limitações. Estamos preparados. O segredo é não nos desviarmos dos nossos objetivos. Contra o Santos, nos aguardam 180 minutos duríssimos e o importante é ganhar os primeiros 90 em Montevidéu”, concluiu o veterano Darío Rodríguez, de 36 anos, um dos principais destaques do time uruguaio.

FICHA TÉCNICA
PEÑAROL-URU X SANTOS

Local: Estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 15 de junho de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)
Assistentes: Nicolas Yegros e Rodney Aquino (ambos do Paraguai)

PEÑAROL-URU: Sosa; Alejandro González, Carlos Valdéz, Guillermo Rodríguez e Darío Rodríguez; Corujo, Aguiar, Freitas e Mier; Martinuccio e Olivera
Técnico: Diego Aguirre

SANTOS: Rafael; Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Alex Sandro; Adriano, Arouca, Danilo e Elano; Neymar e Zé Eduardo
Técnico: Muricy Ramalho

Fonte A Gazeta Esportiva.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: